/Blog

Arquitetura em nuvem: como esse recurso pode ajudar a sua empresa?

A Cloud Computing deixou de ser uma tendência e passou a ser vital para as empresas atuais. Não à toa, a tecnologia encabeça a lista de principais urgências de adesão apontadas pelos CTOs brasileiros, e representa 48% das respostas analisadas na pesquisa do IDC Brasil, solicitada pelo Google Cloud.

Apesar da busca, o desafio técnico ainda representa uma das maiores dificuldades na implementação da nuvem no país, já que faltam profissionais especializados nas empresas. Apenas com um bom aproveitamento da infraestrutura, é possível atingir todos os benefícios proporcionados por ela, e é nesse cenário que a Arquitetura em Nuvem ganha importância fundamental.

Afinal, não basta contar com equipamentos de ponta, é necessário também criar condições favoráveis para os ativos de TI alcançarem uma boa performance. Se não houver um bom planejamento nesse sentido, o retorno do investimento em Tecnologia da Informação poderá ser abaixo do esperado.

Neste artigo, vamos explicar diversos pontos que justificam uma atenção especial com a Arquitetura em Nuvem, seus benefícios e como superar os desafios técnicos. 

O que é uma Arquitetura em Nuvem?

Elemento essencial para a criação na nuvem, a Arquitetura em Nuvem pode ser definida como o layout que conecta todos os componentes e tecnologias necessários para a Computação em Nuvem. Ela determina como esses elementos são integrados e permite agrupar, compartilhar e escalonar recursos em uma rede. Sua atuação funciona como um blueprint (planta baixa) para executar e implantar aplicativos em ambientes de nuvem.

Outro aspecto marcante é que a Arquitetura em Nuvem deve ser bem estruturada para minimizar riscos de problemas durante a migração para a cloud. Caso isso seja devidamente executado, torna-se mais simples atingir benefícios valiosos com essa tecnologia, como redução de custos, agilidade e escalabilidade. 

Por outro lado, é muito importante verificar se os softwares corporativos têm os requisitos para estarem na nuvem. Um erro de configuração pode tornar uma solução mais vulnerável e ainda afetar a disponibilidade dos dados. Ou seja, qualquer falha na migração pode causar prejuízos em termos financeiros e de rendimento. 

Para evitar essa situação, esse layout deve estabelecer como será a integração dos componentes. Dessa maneira, é mais fácil promover o agrupamento, o compartilhamento e o escalonamento de recursos em uma rede corporativa 

Para atingir o máximo de performance com essa tecnologia, o ideal é contar com um provedor que ajude a adotar uma arquitetura de nuvem que atenda as demandas do seu negócio. Esse procedimento será valioso para promover corretamente a migração de cargas de trabalho para a Cloud de maneira mais eficiente e ágil. 

→ Conheça a Consultoria Cloud da UDS.

Entenda como funciona a Arquitetura em Nuvem

Como um conjunto coordenado de princípios de design que orientam a forma como os recursos computacionais são organizados e entregues na nuvem, a Arquitetura Cloud é essencial para garantir que as aplicações e serviços baseados em nuvem sejam executados dentro do esperado.

Em virtude disso, o back-end deve apresentar recursos de armazenamento de dados e aplicativos de computação em nuvem oferecidos por um provedor de cloud. Outro detalhe valioso é contar com uma rede capaz de conectar os componentes da Arquitetura em Nuvem de front-end e back-end. Isso é fundamental para que os dados sejam enviados corretamente aos usuários.

Por exemplo, quando um cliente interage com o front-end (interface da aplicação visualizada pelo público-alvo), ocorre o envio de consultas para o back-end por meio de middleware, o que permite a realização de uma tarefa específica. 

Por dentro dos modelos

A Arquitetura em Nuvem deve ser elaborada considerando os três modelos de serviços de Cloud Computing mais empregados no mercado:

  • Infraestrutura como Serviço (IaaS): fornece a base de recursos computacionais, permitindo o maior grau de flexibilidade e gestão;
  • Plataforma como Serviço (PaaS): oferece um ambiente para desenvolvimento e implementação de aplicativos, abstraindo a gestão de infraestrutura;
  • Software como Serviço (SaaS): disponibiliza aplicações completas gerenciadas pelo provedor, simplificando o acesso a soluções sofisticadas.

No caso da Infraestrutura como Serviço (IaaS), os recursos (servidores, armazenamento e rede) são oferecidos de acordo com a demanda. Assim, não é necessário adquirir equipamentos e manter uma infraestrutura local por conta própria. 

Já na Plataforma como Serviço (PaaS), são fornecidas as ferramentas de infraestrutura e software ideais para o desenvolvimento, execução e gerenciamento de aplicativos. Com isso, uma empresa pode ter soluções tecnológicas mais personalizadas e capazes de agregar valor aos serviços. 

Guia definitivo da Migração para Nuvem.

Por fim, no Software como Serviço (SaaS), aplicativos são disponibilizados e mantidos na nuvem. Dessa maneira, não é necessária a implantação de um sistema na máquina, o que torna os trabalhos mais dinâmicos e simplifica o uso dos computadores. 

Arquitetura Física é segura?

Por questões de segurança da informação, muitas empresas optam por manter um data center próprio. Contudo, essa prática exige um grande cuidado com o gerenciamento da infraestrutura de TI. Um dos motivos é a necessidade de manter os equipamentos atualizados com foco em um ótimo desempenho.

Outro aspecto que deve ser considerado ao contar com uma arquitetura física é ter uma boa estrutura de manutenção preventiva e corretiva. Lembrando que um problema na disponibilidade dos serviços digitais pode causar sérios prejuízos financeiros e de imagem. 

Esse fator mostra como é essencial ter uma equipe atenta 24×7 para manter a infraestrutura tecnológica funcionando em um excelente patamar. Sem dúvida, é um custo elevado manter um bom rendimento dos ativos de TI por conta própria.

Nesse sentido, é muito importante ter uma avaliação criteriosa sobre a necessidade de realmente contar com uma arquitetura física para gerenciar os recursos de Tecnologia da Informação, que ocupam um papel cada vez mais estratégico no mundo empresarial. 

[banner Cloud direcionando para a página de contato]

Confira os benefícios da Arquitetura em Nuvem 

Você já conhece as diferenças entre os tipos de arquitetura de infraestrutura tecnológica mais utilizados atualmente. Agora, vale a pena ter mais detalhes sobre as vantagens de optar pela Cloud Computing. Acompanhe!

→ Diminuição de despesas

É muito complicado investir na aquisição de servidores em virtude das rápidas mudanças no mercado. Para lidar melhor com essa situação, um bom caminho é optar por um provedor de serviços de nuvem. Essa medida colabora bastante para ter uma gestão mais estratégica e eficiente dos recursos tecnológicos. 

→ Mais agilidade 

Não vale a pena perder tempo com processos de aquisição e configuração da infraestrutura de TI. Com a Arquitetura em Nuvem, fica bem mais rápido e prático utilizar esses recursos. Além disso, essa ação ajuda a priorizar no desenvolvimento e na entrega de serviços e produtos mais atraentes para o público-alvo. 

→ Escalabilidade

Não há dúvidas de que as demandas por dados e sistemas variam conforme as necessidades organizacionais. A partir da Arquitetura em Nuvem, é possível ter mais ou menos recursos para suprir a demanda e conviver melhor com os picos sazonais por dados.

→ Foco na Transformação Digital

Ao aderir a Cloud Computing, uma organização tem um cenário mais favorável para lançar novas ferramentas e seguir as tendências da transformação digital. À medida que os serviços são automatizados, maiores são as chances de minimizar erros e de manter uma conexão mais favorável com o público-alvo. 

→ Disponibilidade em ótimo patamar

Evitar paralisações imprevistas e fornecer sistemas e dados dentro das necessidades dos clientes são ações que se tornam perfeitamente viáveis com a Arquitetura em Nuvem. Um elevado nível de disponibilidade é peça-chave para uma empresa estar devidamente inserida no mundo digital. 

→ Segurança reforçada

Cada vez mais os cibercriminosos adotam procedimentos mais sofisticados para alcançar objetivos, ou seja, causar danos financeiros às vítimas. Com o suporte de um provedor de nuvem, é possível ter à disposição as melhores ferramentas para prevenir e mitigar as ameaças virtuais. 

Um exemplo prático de implementação

A PayBrokers, que está entre as maiores facilitadoras de pagamento do Brasil, encontrava-se em um momento crucial: precisava atender a demanda do mercado financeiro com agilidade, criando uma infraestrutura com alto nível de segurança e em conformidade com leis de proteção de dados nacionais e internacionais.

Para criar uma infraestrutura que suportasse um grande volume de transações e implementar a cultura DevSecOps, a empresa contou com a consultoria completa em Cloud da UDS. Além de adquirir expertise e ganhar agilidade, a PayBrokers teve uma redução de 60% em chamados de suporte, inibiu ataques DDoS e reduziu a zero a indisponibilidade dos seus serviços.

→ Clique e confira o case completo. 

Se está em busca de utilizar a computação em nuvem de forma inteligente, vale a pena entrar em contato conosco agora mesmo e conhecer os serviços de consultoria da UDS. Com certeza, vamos te ajudar a otimizar os recursos tecnológicos e atingir resultados mais expressivos!

Preencha o formulário abaixo para saber mais:

Tainá Aquino

Jornalista, especialista em copywriting e estrategista de conteúdos de tecnologia na UDS.

Materiais Ricos

Mais lidos

1

Desenvolvimento de Apps

Como criar um aplicativo para o Apple Vision Pro

2

Desenvolvimento de Software

As 5 boas práticas de desenvolvimento de software

3

Desenvolvimento de Apps

Linguagens utilizadas no desenvolvimento de apps Android e iOS

Posts Relacionados

Inscreva-se no nosso blog

Receba em primeira mão os conteúdos mais quentes da área de Tecnologia.