Para prevenir os riscos de falhas em projetos de desenvolvimento de software, é preciso saber identificá-los e fazer a gestão desses riscos. Não existe projeto sem risco e ignorá-los pode resultar em consequências negativas imprevistas e prejuízos para os negócios.

A identificação eficaz dos riscos em um projeto de desenvolvimento de software permite determinar os seus pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades, além de garantir a qualidade do produto, maximizar resultados, cumprir os prazos e ser proativo ao invés de reativo.


Razões importantes para aplicar estratégias de gerenciamento de risco para o desenvolvimento

  • Economiza muito dinheiro cortando despesas em emergências que podem ser previstas e evitadas;
  • Ajuda você a trabalhar mais rápido, pois permite que suas equipes de desenvolvimento se concentrem no que precisa ser feito, em vez de desperdiçar tempo na correção de problemas imprevisíveis;
  • Permite investir recursos de forma mais inteligente, pois evita gastos adicionais para resolver problemas imprevisíveis;
  • Constrói uma reputação melhor para o seu negócio, garantindo que tudo está sob controle, mesmo em uma emergência.

Mas o que é um risco?

– Um evento que ainda não aconteceu;
– A probabilidade de ocorrer um evento;
– Um evento que pode ser evitado;
– Um evento que é negativo ou positivo;
– Um evento com consequências que podem ser minimizadas, maximizadas ou aceitas.

No contexto do gerenciamento de projetos de software, existem três grandes tipos de riscos:

  • Risco externo: é resultado da influência do cliente no escopo;
  • Risco interno: resulta do próprio processo de desenvolvimento de software;
  • Risco pessoal: resultado do esforço, qualidade e comprometimento de cada membro da equipe no projeto.

Há diversos riscos negativos que são evitáveis com a aplicação das estratégias corretas de gestão de riscos em projetos de desenvolvimento de software.


Processo eficaz de gerenciamento de riscos em 5 etapas

1. Identificação e avaliação

A primeira coisa que fazemos é identificar ameaças potenciais e calcular suas chances de surgirem ao longo do projeto. Qual é a chance de que esses riscos ocorram?

2. Análise

Nesta etapa, determina-se a influência de um risco específico em um produto. Quão sério é isso? A partir daí, pode-se preparar um curso de ação adequado e tomar decisões de negócios relacionadas à mitigação de riscos.

3. Classificação

Depois de saber com o que você está lidando, pode-se classificar os riscos de acordo com sua urgência e os danos que podem causar.

4. Plano de Resposta

Ao identificar quais as ameaças ao processo de desenvolvimento de software, analisar e priorizar os riscos, é hora de saber como agir. Esta etapa depende do caso, ou seja, é possível prevenir o risco ou reduzi-lo tanto quanto possível? Depois desta resposta, é possível tomar as devidas providências.

5. Monitoramento dos riscos

Quando o plano é implementado, observe o quanto a estratégia funcionou. É preciso fazer alterações? O gerenciamento de riscos é contínuo, portanto, deve-se monitorar os riscos do projeto constantemente.

Ciclo da Gestão de riscos em desenvolvimento de software

Dicas para criar o processo de gestão de riscos

  • Ao planejar com antecedência, é possível avaliar o melhor curso de ação para garantir que o projeto alcance o sucesso.
  • Crie uma lista de possíveis riscos internos e externos que devem ser considerados durante toda a duração do projeto. A lista deve ser atualizada conforme o projeto avança.
  • A identificação dos riscos envolve a sua probabilidade de ocorrência, seu impacto no sucesso do projeto e a ação proposta.
  • Criar uma tabela simples baseada em valores e fator de exposição ao risco:
Tabela de Gestão de riscos em desenvolvimento de software

Quais são os melhores métodos de identificação de risco?

Existem muitos softwares, ferramentas e técnicas para melhorar o processo de identificação de risco que podem ser associadas a técnicas analíticas, como:

✔ Análise de documentação;

✔ Análise detalhada dos objetivos do projeto;

✔ Listas de controle com base na experiência de projetos anteriores;

✔ Matriz SWOT.

Ao analisar o risco, fica fácil perceber que há muitas conexões entre eles. Essa é uma das razões pelas quais é tão importante identificá-los desde o início e evitar o impacto negativo das consequências em cascata.

Você sabia?

Mais de 32% de todos os projetos de software falham devido a falhas na identificação de riscos.

Apenas 23% das organizações usam práticas padronizadas de gerenciamento de projetos.

Segundo um estudo da PwC com mais de 10.600 projetos descobriu que apenas 2,5% deles foram concluídos com sucesso. O restante não atingiu algumas de suas metas originais, não cumpriu o orçamento ou os prazos originais.

Gallup

Quais são os riscos mais comuns em projetos de desenvolvimento de software?

Há pelo menos 7 riscos muito comuns de gerenciamento de projetos no desenvolvimento de software:

1. Prazos apertados

Frequentemente, os gerentes de projeto enfrentam a pressão de ter que entregar o projeto antes do previsto. Isso pode acontecer por diversos motivos: falta de recursos, planejamento inadequado ou até mesmo falhas técnicas.

Para cumprir prazos curtos, é necessário ter à mão mais recursos, sobretudo profissionais qualificados. Isso reduz o tempo necessário de desenvolvimento. Mas encontrar os engenheiros certos pode ser uma tarefa e tanto.

É aqui que algumas empresas terceirizam o desenvolvimento de software para fornecedores externos, alocando profissionais durante o período do projeto. Se a solução escolhida for esta, é preciso prestar atenção na expertise da empresa de outsourcing.

2. Alterações de orçamento

É muito comum haver alterações no orçamento de projetos de desenvolvimento de software, em geral pelo aumento do escopo, ou seja, quando o projeto começa com um conjunto de requisitos claros e bem definidos, mas conforme se aproxima da finalização há tantas funcionalidades adicionadas ou excluídas que tudo o que resta é refazer os cálculos de custos.

45% dos projetos de TI ultrapassam o orçamento.

3. Má gestão do projeto

Embora muitos gestores de projeto possam culpar os excessos de orçamento e as restrições de tempo como os motivos pelos quais os projetos de software falham, o motivo subjacente quase sempre é o seu gerenciamento inadequado.

O gerente certo será capaz de planejar com eficiência as estratégias que garantam a mitigação dos riscos associados ao projeto, mantendo uma comunicação eficaz com as equipes e uma estrutura organizacional forte, além de processos de documentação elaborados. Com uma gestão adequada, a porcentagem de projetos que falham pode ser significativamente reduzida.

4. Falta de compromisso da equipe

O comprometimento de todos os membros da equipe em torno de um objetivo comum é essencial para o sucesso de cada projeto. A falta de comprometimento acarreta atrasos nas entregas e impacta negativamente na motivação de outros membros da equipe.

Para fortalecer o compromisso de todos, deve-se fornecer o máximo possível de detalhes sobre o projeto, para que os membros sintam que são uma parte importante de algo maior, além de incentivar sua independência e responsabilidade.

5. Falta de comunicação

A comunicação é fundamental para a eficiência do trabalho em um projeto de desenvolvimento de software para evitar lacunas de conhecimento, tarefas duplicadas e diminuição da produtividade.

A realização de reuniões regulares com todos os membros da equipe é a solução mais adequada, tanto para completar as tarefas quanto para compartilhar o conhecimento criado como parte do projeto. As reuniões devem dar a todos a segurança de se manifestar, seja para indagar ou para opinar.

6. Falta de documentação

É um dos riscos que trazem mais prejuízos ao projeto de desenvolvimento de software, cujo resultado pode ser o caos: a equipe fica perdida, é impossível que alguém ingresse na equipe durante o andamento do projeto e não há uma base de conhecimento para servir de referência a novos projetos.

A solução é utilizar desde o início ferramentas, como JIRA, para escrever a documentação para APIs e outros produtos do projeto, um local onde são organizadas todas as informações básicas do projeto, membros da equipe e suas funções, senhas e outras informações de acesso, descrições do usuário e lista de recursos.

A documentação não precisa ser volumosa. Sua função é descrever todo o projeto de uma maneira clara e fácil de seguir. Outro papel importante é servir como apoio a novos membros da equipe, seja para novas contratações ou substituições ao longo do projeto.

7. Má comunicação com o cliente

O cliente não está respondendo? Cuidado. Atrasos nas respostas significam atrasos no projeto. É importante manter um bom relacionamento com o cliente desde o primeiro encontro, determinando que tipo de decisões sempre devem ser feitas em conjunto e o que pode ser decidido pelos desenvolvedores por conta própria. Caso nenhum método de contato como cliente funcionar, o gerente de projeto deve agir imediatamente.

Se os prazos não puderem ser cumpridos, é vital informar o cliente sobre isso o mais rápido possível. Uma boa maneira de lidar com isso é dividir uma tarefa maior em duas menores. É melhor entregar algumas partes do que já está pronto do que nada. Isso mostra ao cliente o comprometimento da equipe.


Gerenciamento de riscos com Metodologias Ágeis

Não é surpresa que os métodos ágeis tenham técnicas inerentes no seu DNA para lidar com os principais riscos de projetos de software, desenvolvidas a partir da experiência do que funcionou bem ou não.

Em um ambiente ágil, o gerenciamento de riscos não precisa envolver a documentação formal e reuniões tradicionais de desenvolvimento. Em vez disso, são aplicadas as funções de scrum, sprints e eventos. Conforme um projeto avança em um ambiente ágil, o risco desse projeto diminui, pois o processo incentiva a flexibilidade.


Um processo flexível ajuda os membros da equipe a se adaptarem rapidamente às mudanças nas necessidades do produto, promove a entrega rápida e frequente e mantém controles de gerenciamento de mudanças.

A parceria com uma empresa de desenvolvimento de software experiente pode ajudá-lo a desenvolver um modelo de gestão de riscos eficiente e apropriado para o seu projeto de software. A UDS é especializada em soluções de desenvolvimento de software, web e mobile de alta performance em ciclos curtos de entrega. Fale agora com o nosso time e tenha essa expertise na sua empresa.

Leave A Reply