/Blog

Profissional Product Manager - Quando contratar
Profissional Product Manager - Quando contratar

Product Manager: o que é, quais suas responsabilidades e quando contratar?

O que você vai encontrar neste artigo:

Nos últimos anos, a Gestão de Produtos tornou-se uma disciplina estratégica, ganhando espaço junto às metodologias ágeis. Nesse contexto, o Product Manager (PM) emergiu como figura central na condução do sucesso de produtos e serviços digitais, sendo o guardião da estratégia por trás de todo o Desenvolvimento de Software. 

Mas você sabe, efetivamente, o que um Product Manager faz? Para além das polêmicas envolvendo esse papel, este artigo aborda detalhadamente as responsabilidades, habilidades, diferenças e a importância crítica de um PM, principalmente para startups e scale-ups. 

Descubra quando esse profissional se torna essencial e como ele pode ajudar a impulsionar o seu negócio!

O que é um Product Manager?

Um Product Manager é o profissional responsável pela visão estratégica por trás de todo o ciclo de vida de um produto, desde concepção, implantação, evolução, ou a sua eventual descontinuação.

Sua atuação ultrapassa aspectos operacionais e engloba estratégia de mercado, análise de dados, gestão de stakeholders e alinhamento com objetivos corporativos.

Na prática, esse profissional está constantemente avaliando a posição do produto no mercado, ponderando sobre sua competitividade e relevância. Além disso, é papel do PM garantir que a solução também esteja alinhada com uma visão de sucesso sustentável no futuro.

Leia mais:

Quais as responsabilidades de um Product Manager? 

O Product Manager atua em estreita colaboração e integração com as equipes de Desenvolvimento de Software, Marketing, Vendas e Suporte. Ele usa feedback e dados para orientar decisões e impulsionar melhorias contínuas.

Na busca por gerar resultado, esse profissional precisa entender as alavancas do negócio e pensar na experiência do usuário desde o início do desenvolvimento.

Ainda, também tem diversas outras responsabilidades, como: 

  • Definição estratégica: o PM é responsável pela criação de roadmaps, definição de KPIs e estabelecimento de métricas de sucesso;
  • Análise de mercado e concorrência: ele utiliza ferramentas como análise SWOT, PESTEL e análise competitiva para identificar oportunidades, ameaças e tendências;
  • Elo interdepartamental: o PM atua como ponto de integração entre equipes de desenvolvimento, UX (user experience) e business, assegurando alinhamento e colaboração eficaz;
  • Identificação de oportunidades: ele identifica, avalia e valida ideias que possam representar novas oportunidades de negócio ou melhorias significativas para os produtos existentes;
  • Foco em métricas: o PM monitora e analisa métricas de produto relevantes, utilizando insights para direcionar melhorias e otimizações que impulsionem o crescimento e a evolução do produto;
  • Desenvolvimento de mindset de produto: ele cultiva uma mentalidade centrada no produto, garantindo que todas as decisões e ações estejam alinhadas com as necessidades e objetivos;
  • Gestão de stakeholders: o profissional estabelece e mantém relacionamentos sólidos com stakeholders de diversos setores, garantindo alinhamento estratégico e colaboração eficiente.

Qual a diferença entre Product Manager e Product Owner?

A distinção entre Product Manager e Product Owner (PO) é frequentemente objeto de debate. Em algumas empresas, não é incomum que uma só pessoa execute as duas funções, visto a não existência de volume de trabalho que justifique profissionais dedicados. Há ainda aquelas que possuem apenas o papel do PO, que é uma função específica do método Scrum, focada em coordenar as etapas do processo de desenvolvimento. 

Ebook Como fechar vagas de TI em tempo recorde

Enquanto o PM foca nos aspectos estratégicos, o PO se concentra nos operacionais. Em termos práticos, a principal distinção entre as funções reside nas atividades cotidianas que cada um desempenha.

O Product Owner se mantém imerso em tarefas táticas, estabelecendo uma conexão direta com a equipe de desenvolvimento. Ele se torna o ponto focal para o time para garantir que o produto evolua conforme as necessidades e expectativas.

Vamos conferir as principais responsabilidades de um PO? 

  • Levantamento de necessidades: identificar e compreender as demandas do negócio e do produto, interagindo com todos os stakeholders relevantes;
  • Captura de demandas: coletar e documentar requisitos, transformando-os em tarefas claras e compreensíveis para a equipe de desenvolvimento;
  • Priorização: gerenciar e priorizar o backlog do produto, garantindo que as tarefas mais cruciais e estratégicas sejam abordadas primeiro;
  • Comunicação: servir como ponte entre a direção e a equipe de desenvolvimento, garantindo que as expectativas sejam alinhadas e comunicadas de forma clara;
  • Acompanhamento contínuo: monitorar o progresso do produto ao longo de cada sprint, garantindo que as metas sejam atingidas e que qualquer desvio seja prontamente abordado.

Quando a função se torna necessária?

A presença de um Product Manager em uma organização muitas vezes é determinada pelo ambiente empresarial e pelo estágio de evolução da empresa. Quando uma organização está ampliando seu portfólio de produtos ou passando por um crescimento que necessita de uma revisão profunda da estratégia adotada, torna-se claro o valor de um profissional capaz de abordar questões de forma integrada e estratégica.

Como vimos, o papel do PM vai além de simplesmente gerenciar produtos; ele atua como um tradutor, convertendo visões e conceitos em planos concretos. Isso facilita a sincronia eficaz entre os objetivos comerciais, a inovação e sua execução, estabelecendo um percurso claro para um desenvolvimento consistente.

Para resumir, conheça os 5 sinais de que um PM é necessário:

  1. A organização está introduzindo um produto ou serviço inédito. Neste cenário, um PM pode ser fundamental para assegurar que o produto satisfaça as demandas do mercado;
  2. A empresa busca aprimorar um produto ou serviço já existente. A expertise de um PM é vital para detectar áreas de melhoria e determinar as alterações.
  3. Dificuldades em compreender as demandas dos clientes. Um PM pode ser essencial para coletar e interpretar dados de clientes, desvendando suas necessidades e preferências;
  4. A organização enfrenta obstáculos na priorização de funcionalidades do produto. Com a intervenção de um PM, é possível avaliar alternativas e tomar decisões bem fundamentadas;
  5. Há desafios em harmonizar as equipes de desenvolvimento, design e marketing. Um PM pode estabelecer um fluxo de trabalho integrado e colaborativo, otimizando o desenvolvimento do produto.

Habilidades essenciais para contratação?

Obviamente, com tantas responsabilidades estratégicas e com tamanha conexão com o sucesso do negócio, não é qualquer profissional que consegue ocupar o cargo de Product Manager. Por isso, listamos abaixo as soft e hard skills essenciais a qualquer PM:

  • Visão estratégica e analítica;
  • Comunicação empática e assertiva;
  • Resolução de conflitos;
  • Flexibilidade para se adaptar a mudanças rápidas;
  • Orientação ao cliente e em usabilidade;
  • Capacidade de motivar, inspirar e guiar equipes;
  • Tomada de decisão baseada em dados;
  • Capacidade e conhecimento técnico multidisciplinar;
  • Gerenciamento de riscos.

Como contratar um Product Manager?

Agora que você já está por dentro das atribuições e habilidades necessárias a um Product Manager, vamos falar sobre a contratação desse profissional. 

Para garantir resultados de alta performance, é vital contar com especialistas qualificados para assumir esse papel. E nós sabemos como o recrutamento e seleção de profissionais da Tecnologia pode ser um desafio, ainda mais para empresas que estão em um momento de crescimento e precisam de profissionais versáteis, experientes e adaptáveis. 

É aqui que a UDS se destaca, oferecendo serviços de Outsourcing de TI para a criação de squads completas, do operacional ao estratégico, incluindo a expertise de um Product Manager qualificado.

Com uma equipe experiente e uma abordagem centrada no cliente, a UDS está pronta para ajudar empresas de todos os tamanhos a navegarem pelos desafios do desenvolvimento de produtos. 

Quer saber mais sobre como te ajudamos? Preencha o formulário abaixo e conheça.

Tainá Aquino

Jornalista, especialista em copywriting e estrategista de conteúdos de tecnologia na UDS.

Posts Relacionados

Imagem ilustrativa de equipe trabalhando em lean inception.

Quando usar a Lead Inception em um projeto?

Lean Inception é uma metodologia ágil que combina Design Thinking, Agile e Lean Startup para ajudar equipes a definir, alinhar e planejar um Produto Mínimo Viável (MVP). Ideal para líderes de TI e produtos, promove colaboração, eficiência e garante que os produtos atendam às necessidades dos usuários e objetivos do negócio.

Ler artigo →

Inscreva-se no nosso blog

Receba em primeira mão os conteúdos mais quentes da área de Tecnologia.