Manifesto Ágil os 12 princípios para o Desenvolvimento Ágil de Software UDS

Manifesto Ágil: os 12 princípios para o Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento ágil de software é aquele baseado no Manifesto Ágil: uma declaração de princípios essenciais para o desenvolvimento de software criada em 2001 e que tem sido adotada por empresas famosas como Uber, IFood, Netflix e Airbnb, além de outras no mundo inteiro para desenvolvimento de sistemas e aplicativos.

Este manifesto é composto de 4 valores e 12 princípios para o desenvolvimento ágil de software. Ele foi criado quando houve um crescimento de usuários de internet e ascensão do e-commerce, quando novos desafios digitais surgiram e exigiram mais flexibilidade por parte das empresas que desenvolviam sistemas, assim como mais adaptação delas às mudanças que aconteciam no mercado.

Em seus 20 anos de existência, este manifesto não passou por modificações, mas mudou a forma de pensar de diversas empresas e do mercado de software de forma geral.

Ainda que tenha sido concebido no início dos anos 2000, o Manifesto continua sendo relevante e atual, pois há uma certeza absoluta nesse meio: as mudanças tecnológicas serão cada vez mais rápidas e disruptivas.

Princípios para o desenvolvimento ágil de software 

Na primavera de 2000, líderes da comunidade de XP (Extreme Programming, uma metodologia de desenvolvimento de software já considerada ágil antes do termo ser cunhado) se reuniram no estado americano de Oregon para discutir o futuro do desenvolvimento de softwares.

A relação entre XP e os processos de desenvolvimento então conhecidos como “métodos leves e pesados” foi discutida nesta reunião: os “métodos pesados” foram caracterizados como mais formais e influenciados por modelos burocráticos.

Ao final dessa reunião, foi concluído que existiam semelhanças entre o XP e os métodos leves, então Robert Cecil Martin (conhecido como “Tio Bob”) agendou uma nova reunião para os interessados nos métodos leves, que veio a ocorrer no ano seguinte.

Em fevereiro de 2001, 17 pessoas foram à reunião idealizada por Tio Bob em Utah, entre elas estavam Ward Cunningham (desenvolvedor do primeiro Wiki), Kent Beck, criador do XP, e Martin Fowler, cientista chefe da ThoughtWorks.

Após algumas discussões, foi decidido que o nome “métodos leves” não era o que melhor expressava os valores discutidos, sendo acordado que a palavra “ágil” melhor captava a abordagem proposta.

Ao final da reunião, foi desenvolvido um documento chamado “Manifesto Ágil (The Agile Manifesto” no original em inglês), uma declaração contendo 4 valores e 12 princípios para o desenvolvimento de software, com o objetivo de entregar produtos com mais valor em menor tempo.

Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas

Este valor sugere um olhar mais atento ao aspecto humano, ou seja, o entendimento de que os processos e ferramentas digitais são, antes de tudo, meios para atingir melhores interações humanas, portanto o foco preferencial deve ser a experiência do cliente.

Software em funcionamento mais que documentação abrangente

Este valor prioriza a experiência do usuário com o software, e o valor agregado por ele, sendo este mais importante que sua documentação. Ter uma documentação abrangente agrega valor, mas deve ser sempre  subordinada à funcionalidade.

Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos

No Desenvolvimento Ágil, busca-se contratos mais flexíveis, que criam um trabalho mais colaborativo entre cliente e empresa responsável pelo desenvolvimento do sistema.

Entre os tipos de contratos considerados ágeis estão: contrato por sprint (conjunto de tarefas que devem ser executadas e desenvolvidas em um período predefinido de tempo) e “Money for Nothing, Changes for Free” (as alterações não são cobradas e o cliente pode interromper o trabalho caso o retorno financeiro já tenha sido obtido). 

Responder a mudanças mais que seguir um plano

O mercado de software é promissor mas repleto de incertezas, e os planos devem ser adaptáveis, subordinados a mudanças de contexto (sejam tecnológicas, mercadológicas, etc) para que os sistemas desenvolvidos sejam relevantes e atualizados às reais necessidades de mercado. 

Os 12 princípios da metodologia ágil

1 – Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado.

2 – Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.

3 – Entregar frequentemente software funcionando, de poucas semanas a poucos meses, com preferência à menor escala de tempo.

4 – Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto.

5 – Construir projetos em torno de indivíduos motivados, dando a eles o ambiente e o suporte necessário e confiando neles para fazer o trabalho.

6 – O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é por meio de conversa face a face.

7 – Software funcionando é a medida primária de progresso.

8 – Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante indefinidamente.

9 – Contínua atenção à excelência técnica e bom design aumentam a agilidade.

10 – Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado é essencial.

11 – As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis.

12 – Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz e então refina e ajusta seu comportamento de acordo.

O Manifesto Ágil trouxe uma grande mudança de cultura no ramo do desenvolvimento de software: seguir planos rigidamente tornou-se secundário, os profissionais se tornaram mais adaptáveis e o foco na experiência do cliente passou a ser um padrão.

Manifesto Ágil além do mundo dos softwares

Os princípios ágeis não são úteis apenas no universo dos softwares: qualquer projeto onde exista um time com o objetivo de entregar valor ao cliente (através do desenvolvimento de um produto ou da prestação de um serviço) pode se valer dos valores ágeis.

A eficiência, a flexibilidade e a rejeição ao excesso de burocracia são pontos fortes dos métodos ágeis que são muito valorizados no mercado contemporâneo. 

Hoje, as metodologias ágeis é adotada por empresas de ramos muito diferentes entre si como marketing, extração de petróleo (Noble Energy), planejamento de eventos (Redgate), desenvolvimento de produtos (LEGO Digital Solutions) e finanças (Principal Financial Group, LMAX Exchange).

A área de Recursos Humanos criou a sua própria versão do manifesto ágil (disponível em https://www.agilehrmanifesto.org/pt-manifesto-agile-hr) assinada por profissionais oriundos de diversos países. Há também versões atualizadas do Manifesto como o Modern Agile (https://modernagile.org/).

O aumento do interesse pelo assunto levou diversas instituições renomadas a ofertar cursos de métodos ágeis, como por exemplo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), Alura, Udemy e Universidade da Virgínia (EUA). 

Segundo o Google Trends, as buscas pelo termo “Agile Manifesto” continuam em alta, tendo 81 milhões de buscas no Google em fevereiro de 2021, o que é mais um indicativo de que os métodos ágeis vieram para ficar.

Transformação digital ágil é com a UDS

A UDS auxilia médias e grandes empresas como C&A, DHL, Calvin Klein e outras a desenvolver sistemas e aplicativos de forma ágil.

Fale agora com um especialista.

Compartilhe com seus amigos!