cloud FinOps - imagem ilustrativa

A importância do Cloud FinOps para as empresas brasileiras

A computação em nuvem está se tornando cada vez mais popular no Brasil, representando 42% de empresas brasileiras que processam seus dados via Cloud, com previsão de crescimento de mais 10% nos próximos dois anos. No entanto, com esse crescimento, vem também o desafio de gerenciar os custos proporcionados pela nuvem de forma eficaz.

É aí que entra o FinOps, uma disciplina que combina finanças, engenharia e negócios para gerenciar e otimizar os custos de nuvem de forma responsável e eficiente.

Por que o FinOps é importante?

O FinOps, também conhecido como Financial Operations ou Operações Financeiras, é um framework e uma mudança cultural que reúne sistemas e práticas que visam promover entendimento e responsabilidade financeira em relação aos custos com serviços em nuvem. Ele permite que empresas compreendam a complexidade do gerenciamento financeiro de TI tradicional e identifiquem elementos essenciais e métricas de sucesso para agregar valor aos negócios.

Dessa forma, como parte fundamental tanto das finanças quanto do DevOps, o FinOps enfatiza a importância da colaboração entre equipes de TI, finanças e negócios, em pról de um objetivo comum. Ao contrário do que muitos pensam, não se trata apenas de reduzir custos, mas sim de eliminar obstáculos, capacitar equipes de engenharia e promover diálogos multifuncionais sobre investimentos.

O Brasil, com sua economia diversificada, caracterizada por empresas de diversos tamanhos e setores, encontra no FinOps uma abordagem adaptável e aplicável a todas as organizações, independente de sua complexidade. Além disso, diante do rápido crescimento do mercado de tecnologia no país, ele emerge como um diferencial competitivo: ao adotar seus princípios e práticas, as empresas podem não apenas gerenciar eficientemente os custos de nuvem, mas também se manter ágeis e competitivas em um cenário tecnológico em constante evolução.

FinOps e DevOps são diferentes?

Apesar de parecer distintas à primeira vista, a verdade é que as abordagens são complementares. Enquanto o DevOps se concentra no Desenvolvimento de Software e nas operações de TI para produzir e implementar produtos, o FinOps visa a eficiência de custos e desempenho na nuvem em toda a empresa, garantindo uma implementação eficaz de software na nuvem.

Apesar das diferenças aparentes, esses conceitos compartilham atributos valiosos para os negócios:

  • Redução do tempo de lançamento no mercado;
  • Contenção e gerenciamento de custos;
  • Melhoria da qualidade e desempenho;
  • Simplificação da resolução de problemas.
  • Abordagem iterativa ao longo do ciclo de vida;
  • Altamente colaborativos.

Em resumo, enquanto o DevOps desenvolve e implementa softwares internamente, com possível uso da nuvem, o FinOps foca na eficiência da nuvem para softwares desenvolvido interna ou externamente, priorizando a infraestrutura de nuvem como destino de implementação. Dessa forma, práticas de FinOps podem ser consideradas um braço operacional do DevOps. 

As fases do FinOps

No FinOps, a gestão eficaz dos custos de nuvem e a maximização do valor comercial são essenciais. Vamos explorar como isso é alcançado através de práticas de informação, otimização e operação.

Fase 1: informar

Na 1ª fase, a ênfase recai sobre capacitar todas as partes interessadas com informações essenciais para embasar decisões relacionadas ao uso da nuvem. A compreensão clara dos custos de nuvem é fundamental, permitindo uma alocação precisa de despesas e uma visão contextualizada do impacto nos diferentes setores de negócios.

Fase 2: otimizar

Na segunda etapa, se destaca a busca incessante por oportunidades de economia de custos. Nesse estágio, as organizações identificam áreas em que podem ajustar recursos, exploram descontos baseados no uso atual e garantem uma utilização eficiente. O foco é maximizar a eficiência financeira sem comprometer o desempenho operacional.

Fase 3: operar

Essa fase representa a avaliação contínua do desempenho em relação aos objetivos de negócios estabelecidos. Buscam-se melhorias constantes nas práticas de FinOps, utilizando automação para implementar políticas que ajustam continuamente os recursos de nuvem. Isso não apenas controla os custos de maneira segura, mas também assegura a conformidade com políticas e restrições de licenças, proporcionando maior eficácia operacional.

Leia mais 👇

Como mensurar o impacto da estratégia?

Muitas empresas passam por uma jornada ao implementar métricas e indicadores-chave de desempenho (KPIs) em suas operações de TI. Normalmente, elas começam com métricas simples de custos na nuvem e, com o tempo, evoluem para métricas mais abrangentes que refletem o valor para o negócio.

Ao definirmos um conjunto de métricas nos cinco principais aspectos da Cloud FinOps – Responsabilidade e Engajamento, Medição e Resultados, Otimização de Custos, Planejamento e Previsão, e Ferramentas e Aceleradores –, garantimos que essas métricas sejam práticas e alcançáveis para todas as organizações em sua jornada de transformação digital.

→ Responsabilidade e engajamento

É importante estabelecer uma cultura organizacional que promova a conscientização sobre os custos na nuvem.

Uma forma recomendada de medir essa otimização é a porcentagem de profissionais de TI na nuvem, refletindo o comprometimento das lideranças com o entendimento dos custos associados à nuvem.

→ Medição e resultados

A visibilidade e a atribuição precisas de custos na nuvem são fundamentais para uma gestão eficaz.

Uma forma de medir a eficiência de estratégias FinOps é a porcentagem de custos na nuvem atribuídos ao negócio, indicando como os custos são distribuídos e compreendidos pelos responsáveis.

→ Otimização de custos

O foco não deve ser apenas na redução de custos, mas sim em gastar de forma inteligente, maximizando o valor do investimento na nuvem.

A métrica sugerida para avaliar esse aspecto é o uso de ferramentas que possam identificar oportunidades de otimização de custos de forma proativa.

→ Planejamento e previsão

A precisão nas previsões financeiras relacionadas à nuvem é essencial para uma gestão eficiente dos recursos.

A métrica crítica aqui é monitorar a precisão das projeções financeiras em relação aos gastos reais na nuvem no decorrer do tempo.

→ Ferramentas e aceleradores

A utilização eficaz de ferramentas e recursos é essencial para aprimorar as práticas de FinOps.

A métrica de maturidade avalia o quão bem as organizações estão integrando e utilizando ferramentas automatizadas para melhorar a eficiência e a precisão na gestão de custos na nuvem.

Benefícios do FinOps para empresas brasileiras

O Cloud FinOps oferece uma série de benefícios para as empresas que o adotam de forma eficaz. Ao seguir as práticas recomendadas, as empresas podem alcançar economias significativas em várias áreas-chave, como infraestrutura, migração e custos de suporte.

Essas economias permitem que as empresas direcionem seus recursos financeiros de forma estratégica para impulsionar o crescimento e a inovação.

Além disso, a abordagem contribui para melhorar a resiliência operacional das empresas. Ao implementar práticas que aprimoram a qualidade do serviço e fortalecem a postura de segurança contra riscos, as empresas podem enfrentar desafios operacionais com mais confiança. Isso resulta em um ambiente mais robusto e confiável, garantindo a continuidade dos serviços e mitigando possíveis riscos de segurança.

Outro benefício chave do FinOps é sua capacidade de acelerar o tempo de lançamento de produtos e serviços.

Ao promover uma entrega mais fluida, concentrando-se na produtividade dos desenvolvedores, na frequência de lançamentos e na agilidade dos negócios, as empresas podem responder mais rapidamente às demandas do mercado e ganhar uma vantagem estratégica em ambientes altamente competitivos.

Quer saber como a UDS te ajuda a ter mais economia em nuvem?

Tainá Aquino

Jornalista, especialista em copywriting e estrategista de conteúdos de tecnologia na UDS.

Materiais Ricos

Mais lidos

1

Desenvolvimento de Software

Quanto custa um software sob medida?

2

Todos

Vision Pro: o que é e como funciona o óculos da Apple?

3

Desenvolvimento de Apps

Linguagens utilizadas no desenvolvimento de apps Android e iOS

Posts Relacionados

Inscreva-se no nosso blog

Receba em primeira mão os conteúdos mais quentes da área de Tecnologia.