/Blog

Mulher usando plataforma live commerce.

Desenvolvimento de Plataforma para live commerce personalizada: como criar a sua?

Entre as grandes transformações observadas no comportamento dos consumidores de e-commerce nos últimos quatro anos, os critérios utilizados para escolher produtos chama a atenção. Mais do que uma decisão individualizada, a compra considera opiniões renomadas, experiências de outros usuários e o consumo de conteúdos relacionados — de preferência humanizados. Daí surge a criação de ferramentas tecnológicas que possam extrair o máximo dessa tendência, como as plataformas para live commerce.

Segundo a pesquisa Social Commerce 3.0, realizada pela Opinion Box, 28% dos brasileiros já aderiram às compras por transmissões ao vivo, com 54% afirmando obterem informações mais detalhadas sobre os produtos nesse formato. Nessa modalidade, a taxa de conversão pode ser até dez vezes maior que no e-commerce tradicional, especialmente entre os mais jovens. E adivinha só? O Brasil está na vanguarda desse movimento, sendo o segundo país no mundo em live commerce, ficando atrás apenas da China.

Para marcas que desejam criar soluções e implementar essa estratégia, são diversos os desafios relacionados ao desenvolvimento, como infraestrutura, qualidade e estabilidade da plataforma. Neste artigo, você confere então tópicos que precisam ser considerados ao desenvolver uma plataforma para live commerce. 

Por que desenvolver uma solução personalizada?

Para começar, precisamos definir o objetivo central por trás de uma plataforma de live commerce. Nessa modalidade de vendas online, o foco central é a transmissão ao vivo de demonstrações de produtos. É como um programa de TV para compras, mas pela internet e baseando-se na interação com o público. 

Redes sociais como Instagram e YouTube, que fornecem a opções de transmissão ao vivo, já são muito utilizadas por marcas e seus influenciadores para gerar vendas, captar novos leads e realizar lançamentos de novas linhas de produto. Essas plataformas também já integraram às suas funcionalidades lojas virtuais, o que permite ao usuário consumir o conteúdo e realizar a compra em um único ambiente. O TikTok também não fica atrás, já tendo implementado a realização de lives e lojas às suas funções. 

Em todos esses casos, no entanto, empresas ficam reféns de uma estrutura já definida, e podem sofrer com instabilidade de transmissão, falta de personalização da experiência do usuário, além de baixa qualidade do conteúdo. É nessa hora que a busca pelo desenvolvimento personalizado de uma plataforma para shopstreaming surge. 

Considerações tecnológicas para live streaming

Se, por um lado, desenvolver uma plataforma live commerce pode fortalecer a marca da empresa e, tornando-a livre das plataformas de terceiros, aumentar seu lucro, por outro, esse desenvolvimento pode oferecer desafios tecnológicos robustos, que exigem conhecimento e decisões estratégicas.

Por isso, quando pensamos em um streaming próprio, diversas considerações técnicas devem ser feitas, relacionadas à qualidade, segurança, escalabilidade, capacidade de interatividade e integrações da plataforma. Vamos entender melhor cada uma delas.

1. Qualidade impecável

A primeira consideração técnica importante é a da qualidade do conteúdo, que não se restringe apenas à resolução de vídeo e áudio, mas também à consistência da entrega. No e-commerce, se considerarmos aspectos como compra por impulso e reavaliação constante, cada minuto importa. 

Garantir uma resolução de imagem e qualidade sonora excepcionais é, portanto, crucial para o sucesso das soluções de live shopping. Embora o foco não seja idêntico ao de transmissões de filmes ou séries, a exigência dos usuários por demonstrações de produtos em alta definição é crescente. Portanto, uma infraestrutura robusta capaz de suportar um volume elevado de requisições sem comprometer a qualidade ou velocidade de reprodução, é indispensável.

→ Leia também: 7 tendências de Desenvolvimento de Software para streaming.

2. Segurança robusta

A infraestrutura também deve suportar a implementação de criptografia ponta a ponta, visto que é vital proteger as transmissões contra acessos não autorizados. Além disso, é essencial assegurar a privacidade dos dados (de acordo com Leis de Proteção de Dados), a integridade intelectual do conteúdo, e as transações de compra realizadas. Por fim, um monitoramento contínuo de infraestrutura deve ser usado para detectar e prevenir ameaças potenciais.

3. Escalabilidade ilimitada

Uma plataforma de live commerce deve também ser elástica, e ter a habilidade de se adaptar instantaneamente ao número de espectadores. Seja para um público restrito ou milhares de pessoas, a transmissão deve garantir a satisfação em qualquer escala. Dessa forma, a capacidade de escalabilidade é fundamental para assegurar a eficácia da infraestrutura, independente do tamanho da audiência.

4. Interação em tempo real

Para criar uma experiência de compra envolvente, é essencial considerar uma das características fundamentais de plataformas para live commerce: a interação com o público. Recursos de interação em tempo real, como chat, perguntas e respostas e enquetes, são fundamentais para manter a audiência. Isso não apenas mantém o público engajado, mas também fornece uma conexão direta entre os espectadores, os apresentadores e a marca.

Ter uma plataforma que, além de estável, robusta e elástica, permita a personalização dessas experiências para a criação de novas formas de interação com o produto ou oferta, é um grande diferencial.

5. Integração com outros sistemas

A eficiência é fundamental para não frustrar os usuários. Portanto, para que a jornada de compra seja concluída com sucesso, é essencial haver fluidez entre o ambiente de streaming e recursos de e-commerce, como meios de pagamento, CRM e ERP, proporcionando uma experiência integrada para gestão de vendas, relacionamento com clientes e operações comerciais.

Em uma boa solução de live commerce, toda a venda e gestão acontece em um ambiente seguro, o que transmite confiabilidade para os usuários.

A plataforma ideal: white label x desenvolvimento próprio

Uma das opções disponíveis no mercado para negócios que desejam desenvolver suas próprias soluções de live commerce é o White Label, modelo em que uma empresa terceira desenvolve um produto ou serviço e o vende para outras empresas, que o comercializam sob sua própria marca. No contexto das plataformas de live commerce, isso envolve a contratação de uma estrutura pré-pronta, passível de pequenas personalizações. 

Entre as vantagens desse serviço está a sua implementação rápida sem investimentos significativos em desenvolvimento. Já entre as desvantagens estão o menor controle sobre as funcionalidades da plataforma, a dependência do fornecedor para atualizações e correções de bugs, e a possibilidade de Lock-in, ou seja, o ‘aprisionamento tecnológico’ da solução, que tornam o mudar de White Label desafiador e demorado.

Além disso, questões como segurança, escala e infraestrutura são limitadas pelo fornecedor, o que pode comprometer a qualidade do conteúdo e da experiência do usuário em diversos aspectos. 

Desenvolvimento próprio

Ao investir no desenvolvimento personalizado de uma plataforma de live commerce, é possível criar uma solução feita sob medida para atender precisamente às necessidades específicas do negócio. Isso garante uma solução que se encaixe nos objetivos da marca e ao seu público-alvo.

Entre suas vantagens estão:

  • Flexibilidade total: escolha as funcionalidades que deseja, como chat, perguntas e respostas, enquetes e integração com e-commerce;
  • Experiência personalizada: desenvolvimento alinhado à sua marca e identidade visual, o que proporciona uma experiência única para seus clientes;
  • Escalabilidade: a plataforma pode ser ajustada conforme a necessidade, ou seja, ela é  elástica;
  • Integração: capacidade de conexão com outros sistemas de negócios, como CRM e ERP, otimizando processos e aumentando a eficiência;
  • Segurança e confiabilidade: desenvolvimento seguindo os mais altos padrões de segurança e confiabilidade.
  • Propriedade da solução: ao criar uma plataforma personalizada, o código-fonte pertence à empresa e pode ser expandido, modificado ou adequado. 

Confira um breve comparativo: 

CaracterísticaWhite LabelSoftware Customizado
Tempo de ImplementaçãoRápidoMais lento
CustoAcessívelMais caro
FlexibilidadeLimitadaAlta
PersonalizaçãoBranding e algumas configuraçõesCompleta
EscalabilidadeBoaAlta
IntegraçõesLimitadasAmplas
SuporteBásicoPersonalizado
PropriedadeFornecedorCliente
SegurançaBoaAlta
ManutençãoFornecedorCliente

Em exemplo prático de desenvolvimento customizado

Dentre as estratégias de aumento de vendas do Grupo Soma, um protagonista da moda brasileira, estava o fortalecimento de sua presença no mercado online por meio do live commerce. Para isso, o desafio inicial envolvia criar a infraestrutura para a sua plataforma personalizada. 

Porém, o Grupo não contava com expertise interna para tal desenvolvimento, e recorreu a UDS para superar esse desafio. Com profissionais experientes, habilitados para trabalhar com tecnologia avançada, a empresa foi capaz de construir uma infraestrutura de rede capaz de sustentar a plataforma que acomodou mais de 100k de acessos simultâneos. 

Quer saber mais sobre como a UDS ajuda o seu negócio a expandir a estratégia de vendas através do live commerce? Preencha o formulário abaixo!

Tainá Aquino

Jornalista, especialista em copywriting e estrategista de conteúdos de tecnologia na UDS.

Materiais Ricos

Mais lidos

1

Desenvolvimento de Apps

Como criar um aplicativo para o Apple Vision Pro

2

Desenvolvimento de Software

As 5 boas práticas de desenvolvimento de software

3

Desenvolvimento de Apps

Linguagens utilizadas no desenvolvimento de apps Android e iOS

Posts Relacionados

Inscreva-se no nosso blog

Receba em primeira mão os conteúdos mais quentes da área de Tecnologia.