"estratégia de internet of things"

Written by

Internet das Coisas: como planejar sua estratégia

Mobile, Slide, Software, UDS News| Views: 38

A Internet das Coisas (IoT, ou Internet of Things) deve gerar um faturamento de 300 bilhões de dólares até 2020. De olho neste potencial, muitas empresas estão se mobilizando para implementar uma estratégia, mas você sabe o que é Internet das Coisas ou como usá-la a seu favor? 

Estudar as possibilidades de aplicação da Internet of Things na sua área de atuação é vital para manter-se competitiva no mercado. Inegavelmente, o advento da indústria 4.0 tem impulsionado a busca por soluções de conectividade.

Se sua empresa ainda não faz parte deste grupo, sugerimos que continue essa leitura e repense seu plano de negócios.

Listamos algumas iniciativas para ajudar no planejamento da sua estratégia de Internet das Coisas.

 

Sua empresa precisa da Internet das Coisas?

É fato que o mercado está crescendo e as empresas investindo nesta tecnologia, porém, é preciso que você se pergunte: A Internet das Coisas é aplicável ao meu negócio? Tenho necessidade de investir nela?

Em resumo, pode ser que a IoT não se encaixe no seu ramo ou que seu cliente ainda não esteja pronto para lidar com ela.

No entanto, não deixe de considerar o número de dispositivos e sensores que sua empresa utiliza e o volume de dados gerados. Se houver potencial de análise inexplorado e isso aumentar sua visão sobre as necessidades de clientes e colaboradores, você precisa já de uma estratégia.

"Dispositivos conectados pela internet das coisas"

Como planejar uma estratégia de Internet das Coisas?

Antes de tudo, tenha em mente que ‘coisas’ conectadas em uma mesma rede e armazenando dados já são uma realidade.

A partir disso, vamos para os passos para implementar a estratégia de IoT da sua empresa.

 

Identifique oportunidades

Você já se perguntou sobre a necessidade de implementar a Internet das Coisas no seu negócio. Então, pense agora nas oportunidades. Basicamente, foque nos problemas que podem ser resolvidos. Ela é extremamente versátil e, certamente, capaz de se aplicar as necessidades do seu cliente.

Posteriormente, verifique quais os processos podem ser melhorados a partir de objetos conectados. Lembre-se a lista de possibilidade é ilimitada!

A dica é: não foque nos grandes problemas, pois eles exigirão grandes medidas.

 

Valide as ideias

Depois do brainstorm (a chuva de ideias) é hora de repassar os insights. Afinal, você não quer que nada seja produzido sem a validação da sua coerência.

Alinhe questões como o valor agregado da sua proposta, os custos de produção, o modelo de negócio, dentre outros, e só depois de validar todos os pontos passe para a próxima etapa.

 

Avalie e gerencie os riscos

Antes de pensar em conectar ‘coisas’, pense em como mantê-las seguras. Garantir a segurança da informação é essencial já que haverá uma grande quantidade de dados trafegando na sua rede corporativa.

Primeiramente, faça uma auditoria completa e avalie a melhor infraestrutura de rede, os tipos de acesso, as dificuldades de conectividade e quais os possíveis riscos.

Dentro de uma política de homologação de dispositivos, permissões e controle de usuários devem ter um acompanhamento automatizado e com análise de riscos e vulnerabilidades constantes. Invista na educação dos usuários e em ferramentas de segurança que abarquem todos os pontos de conectividade.

 

Pense na implantação

Agora é hora de esboçar projetos e protótipos para testar suas ideias. Crie um FAQ com os principais questionamentos sobre o plano e escreva uma carta de projeto para facilitar a compreensão das equipes.

 

Avalie suas capacidades técnicas

Do mesmo modo, levante questões sobre os benefícios da sua solução, para a empresa e para os clientes.  Assim, pergunte-se sobre a implementação, desempenho e recomendações:

– Qual o problema que minha solução resolve?

– Quais dados precisam ser coletados?

– O quão complexos são os algoritmos?

– O que pode acontecer caso os dados não sejam transmitidos?

 

Monte um time, busque parceiros e desenvolva soluções

Forme uma equipe multifuncional que contribua com a inovação e facilite o entendimento das necessidades da sua estratégia de Internet das Coisas.

Em segundo, busque por um parceiro capacitado para desenvolver sua solução e garantir bons resultados para seu negócio.

 

Siga acompanhando

Supondo que sua solução esteja pronta e sendo comercializada, esteja ciente que a estratégia de Internet das Coisas ainda não está terminada.

Acompanhe toda a experiência do cliente e evolua no processo de inovação, melhorando sempre os produtos desenvolvidos.

 

Temos um grande e potencial mercado de dispositivos conectados em formação. Adotar já uma estratégia de IoT é indispensável para participar desse ecossistema de equipamentos em redes.

Sua empresa está preparada?

Compartilhe sua experiência e opiniões conosco!

Comments

comments

Inscreva-se na nossa Newsletter