O mercado da tecnologia está aquecido. O número de vagas abertas na área não para de crescer e contratar desenvolvedores se tornou um grande desafio. Com isso, duas dúvidas passaram a fazer parte do dia a dia de líderes da área e tech recruiters: Existe algum guia de alocação e hunting de profissionais de TI? Como saber se é o momento certo para acionar apoio nessa área?

As duas perguntas têm respostas complexas.

A solução de terceirizar a contratação (hunting) ou a própria equipe de tecnologia (outsourcing/alocação) cresceu recentemente e não foi por acaso. As empresas especializadas nesses serviços estão facilitando o trabalho de negócios que querem aumentar os times de TI e, por isso, ganham tanto espaço.

Elas trazem aos clientes inúmeras vantagens. Desde banco de talentos amplo e constantemente atualizado, passando pela redução de custos e diminuição da burocracia, chegando a dois pontos fundamentais: a garantia de qualidade e a grande velocidade para disponibilizar os profissionais certos para as empresas clientes.


De onde vem essa dificuldade para contratar no setor?

A resposta está justamente na demanda, que cresce rapidamente.

As oportunidades para profissionais de TI são múltiplas. Desde o início da pandemia, as empresas com background em tecnologia só aumentaram de tamanho. Além disso, outros negócios passaram a demandar mais inovação e infraestrutura tecnológica, o que fez multiplicar a busca por tecnologia e telentos da área.

Um exemplo curioso disso foi o programa Big Brother Brasil (BBB) 2020. Sucesso de audiência e com números impressionantes de faturamento, o reality show também teve alta demanda tecnológica. Em entrevista à CIO Brasil, Wanderley Baccala, diretor do Hub Digital da Globo, afirmou  que “mais de 150 profissionais de TI” trabalharam nos bastidores da atração.

Alguém imaginaria isso?

Por esses e outros fatores, enquanto o resto do mercado sofreu, o setor apresentou crescimento significativo. Assim, desenvolvedores, designers UX e UI, analistas de qualidade, cientistas de dados, DevOps, gerentes de projetos, product owners, scrum masters e outros cargos da tecnologia passaram a ser extremamente demandados pelas empresas.

Inclusive, existem estimativas que falam em 700 mil vagas techs abertas no país. Os números confirmam o crescimento da demanda.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), diz que, em 2021, houve um aumento de 178% no número de vagas abertas no mercado da tecnologia.

A plataforma GeekHunter destaca que as oportunidades são direcionadas a diferentes tipos de profissionais:

  • Plenos (dois a seis anos de experiência): aumento de 344% de demanda.
  • Juniores (até dois anos de experiência): aumento de 173% de demanda.
  • Seniores (mais de seis anos de experiência): aumento de 131% na demanda.

Com o aumento da busca por esses perfis, a concorrência e o assédio em cima de cada pessoa da área são muito grandes. Ao contrário de outros setores, o bom profissional de TI trabalhará onde quiser. Afinal, é bastante provável que a empresa dos sonhos dele esteja buscando alguém com a mesma habilidade e experiência que ele possui.

É justamente aí que as soluções de alocação e hunting de profissionais TI atuam e ganham espaço. Elas têm algumas diferenças, mas ambas servem para o mesmo objetivo de agilizar e facilitar os projetos de inovação nas empresas.

Alocação de profissionais de TI: o que é?

Também conhecida como outsourcing, a alocação nada mais é do que a terceirização de TI. Neste modelo, a empresa cliente contrata a parceira de tecnologia, que ficará responsável por fornecer profissionais próprios para o desenvolvimento do projeto existente dentro do negócio que a contratou.

Por meio da alocação, o cliente evita questões burocráticas e conta com o crivo de uma empresa especializada na área para aumentar o seu time. Além disso, o  profissional fica exclusivo para o negócio que demandou o outsourcing, permitindo toda a gestão do novo talento.

No suporte do novo talento, estará a empresa de tecnologia. Ela ficará responsável pelo acompanhamento e desenvolvimento do profissional de acordo com os indicadores definidos pelo cliente. Isso auxiliará nas boas entregas do alocado ao longo do projeto.

Hunting de profissionais de TI: o que é?

O formato é diferente da Alocação, mas semelhante ao que há em diversos outros mercados. A parceria de tecnologia é contratada para dar o suporte a todo o processo de contratação dos profissionais de TI.

Porém, a fornecedora não atuará como uma consultoria de RH ou seleção, ela irá muito além disso. Com o conhecimento do setor, a parceira cuida da seleção, das entrevistas, dos testes técnicos e de todos os trâmites para que o novo talento seja o ideal para o projeto.

Após a definição do profissional, o cliente contrata diretamente o selecionado para a empresa. A consultoria de hunting ainda acompanhará o projeto, caso haja algum problema e necessidade de substituição do colaborador recém-contratado.

É menos trabalho e mais velocidade na contratação, o que significa tempo para focar no próprio negócio.


Por que investir em alocação e hunting de profissionais de TI?

Muitas empresas fazem essa pergunta, pois não entendem o porquê de contratar uma consultoria de tecnologia para isso. Esses negócios acreditam que encontrar profissionais é algo simples e que, mesmo com a grande concorrência no mercado, é possível localizar a pessoa certa em um curto período de tempo.

A prática não mostra isso.

Uma série de empresas buscam modelos de alocação e hunting depois de longas tentativas de trazer o talento certo da forma mais tradicional. Após muitos erros, entendem que precisam de um apoio. Quem enxerga isso antes, garante uma vantagem competitiva em relação ao restante do mercado.

Atrair um profissional tão concorrido, como é no caso da área de TI, exige muito trabalho e especialização nisso. Insistir na forma tradicional de contratar fará com que a empresa enfrente alguns problemas.

  1. Perda de Agilidade: a forma tradicional de contratar na tecnologia costuma levar de 2 a 3 meses para encontrar o candidato ideal para a companhia. Em um mercado tão ágil como esse, o período de 60 a 90 dias sem o profissional certo para avançar no projeto pode tornar o desafio inviável e deixar a empresa para trás dos demais concorrentes.
  2. Capacitação e onboarding: muitas vezes, pela dificuldade encontrar o perfil ideal para a vaga, a empresa acaba trazendo alguém sem a parte técnica e a parte cultural afinada ao negócio. Isso acaba demandando um longo período de investimento em capacitação e onboarding. Esses são outros pontos negativos do modelo tradicional de contratação.
  3. Demora para expandir e burocracia para reduzir: em tecnologia, a agilidade é uma premissa. Com as dificuldades para contratar e adaptar o candidato ao contexto da vaga, a empresa fica amarrada e travada para aumentar a equipe. Ao mesmo tempo, quando há a necessidade de reduzir o time (projeto finalizado, falta de fit com negócio e outros motivos), a burocracia impede agilidade no encaminhamento do término da relação de trabalho.
  4. Turnover e evasão de conhecimentos importantes: o mercado está aquecido e a demanda por bons profissionais está igualmente em alta. Por isso, depois de todo o investimento de tempo para a busca, a capacitação e o alinhamento cultural com a organização, a empresa não está imune à saída do talento. A qualquer momento, o funcionário pode receber uma proposta, aceitá-la e levar com ele todo o conhecimento do negócio. 
  5. Passivos trabalhistas: outra questão importante é que, com a dificuldade de achar o candidato ideal, o negócio tem grandes chances de contratar um profissional sem o perfil adequado para a demanda. Com isso, há a necessidade de substituir a pessoa, o que tem uma possibilidade alta de gerar passivos trabalhistas.

Porém, quem entende a necessidade do suporte de uma consultoria especializada na alocação e hunting de profissionais de TI, rapidamente, tem ganhos em relação aos concorrentes.

  1. Acesso a excelentes talentos do mercado: as empresas focadas em Alocação e Hunting de profissionais de TI estão sempre contratando para os mais diversos tipos de vagas e empresas. Por isso, elas possuem um banco de talentos completo e múltiplo, que fará com que o candidato ideal chegue rapidamente ao negócio do cliente.
  2. Engenharia de software de ponta e cultura de excelência: por ter uma empresa de tecnologia por trás, o profissional alocado ou contratado por ela tende a ser mais adaptado ao que a empresa cliente busca. Além disso, o background tecnológico do fornecedor garantirá conhecimento técnico atualizado e da mais alta qualidade.
  3. Aumento ou redução de equipe de forma rápida e desburocratizada: não há burocracia para aumentar o time, se o projeto avançar; e nem para diminuir a equipe, caso ele seja concluído. 
  4. Gestão por indicadores e fit cultural: por se tratar de um contrato entre duas empresas, os indicadores de sucesso podem ser alinhados caso a caso e envolver os mais diferentes fatores. Com esses pontos bem definidos, a possibilidade da alocação ou do hunting trazer resultados positivos ao negócio é bastante grande.
  5. Redução de custos extras: no final, mesmo com a participação de um parceiro de alocação e hunting remunerado no processo, o profissional fica mais barato. Uma série de custos desaparecem, entre eles a infraestrutura (equipamentos) para a pessoa trabalhar, os passivos trabalhistas e a evasão de talentos. Tudo isso é responsabilidade da empresa de alocação e hunting. 

Contar com um apoio especializado para contratar ou mesmo terceirizar a sua área de TI ganhou espaço por todos esses motivos apresentados.


Quando é o momento certo para contratar um parceiro de alocação ou hunting?

A melhor hora é agora.

Os principais players do mercado já entenderam que este apoio na alocação e hunting faz toda a diferença. Os ganhos são diversos e impactam diversas áreas do negócio, entre elas, a financeira, a capacidade de inovação e a agilidade para execução de projetos.

Não por acaso, atualmente, gigantes da área financeira, do e-commerce e da indústria têm centenas de profissionais de tecnologia alocados. Com a facilidade do trabalho remoto, as possibilidades de alocação e hunting só aumentaram.

Porém, para ter sucesso nesse formato de trabalho, é necessário o suporte de um parceiro robusto e com experiência no tema. 

A UDS Tecnologia conta com uma uma unidade de negócio exclusiva para esses serviços, a UDS Body Shop Hunting (BH). Por meio dela, atendemos, em alocação e hunting, a TOTVS, o Madero, o Grupo Primo, a MAG, o Grupo Soma, a PetLove e outra série de grandes empresas.

Tudo isso com o suporte de uma software house de mais de 18 anos de história, 900 clientes e 5 mil projetos.

Quer encontrar o profissional de TI ideal para o seu negócio? Entre em contato com a UDS, nós temos a solução para uma contratação ágil.

Leave A Reply