O React Native é um framework híbrido utilizado para escrever aplicativos móveis multiplataforma e que tem chamado a atenção dos desenvolvedores por suas características, facilidades e uma série de vantagens.

Baseado em ReactJS – a biblioteca JavaScript do Facebook –, o React Native é focado na interface do usuário, o que faz com que os aplicativos carreguem mais rapidamente e tenham fluidez.

Não é de se admirar que o React Native venha conquistando desenvolvedores e empresas ao oferecer uma maneira de construir aplicativos móveis de forma mais simples e otimizada. Criado para ser compatível com as plataformas Android e iOS, basta codificar uma vez para ambas, o que ajuda a economizar tempo de desenvolvimento.

Por sua versatilidade, esse framework é adotado com sucesso por centenas de empresas em todo o mundo, incluindo Tesla, Tableau, Discord, Airbnb, Uber, Microsoft, Bloomberg, Walmart e Meta/Facebook (a “mãe” do React Native).


Como e quando o React Native surgiu?

O React Native nasceu em 2013 em um hackathon entre desenvolvedores do Facebook. Lançado ao público em 2015, em apenas três anos se tornou o segundo repositório mais popular no GitHub, e hoje continua sendo um dos frameworks de desenvolvimento mais usados para construir aplicativos móveis para iOS e Android. Ainda hoje pertence à Meta Platforms, Inc., mas é open source.


“Hello World”: Como o React Native funciona?

O React Native possui um conjunto de componentes que interagem com as APIs nativas e operam simultaneamente em plataformas iOS e Android para criar um aplicativo móvel com aparência nativa.

Em outras palavras, os aplicativos criados em React Native têm acesso direto a todas as APIs nativas e visualizações oferecidas pelo sistema operacional móvel subjacente. É por isso que eles têm o mesmo efeito e desempenho de um aplicativo nativo.

Ao construir um aplicativo em React Native, usa-se uma mistura de JavaScript e marcação XML: a sintaxe JSX. Então, a partir dessa “ponte” (chamada de “Native Bridge”), o React Native invoca as APIs de renderização nativas em Objective-C (para iOS) ou Java (para Android).

A “ponte” é estruturada em C++/Java e é responsável pela comunicação entre o thread nativo e o JavaScript. Um protocolo personalizado faz a comunicação entre as propriedades entre as partes.

Isso significa que o app será renderizado usando componentes reais de interface do usuário móvel, e não visualizações Web, já que ele não direciona o navegador, mas atua dentro da própria plataforma.

Já os componentes básicos, como Visualização, Texto e Imagem, são como blocos de construção de interface do usuário nativos da plataforma.

Exemplo do componente Text dentro da hierarquia do React Native.
Exemplo do Componente Text dentro da hierarquia do React Native.
(Fonte: Facebook Open Source | Meta Platforms, Inc.)

Quais as características básicas do React Native?

Além de acessar a interface e os recursos nativos do Android e iOS utilizando JavaScript, este framework tem outras propriedades marcantes e fundamentais que entusiasmam desenvolvedores:

O código produzido é semelhante ao ReactJS para Web.
Possui a base de conhecimento compartilhada entre o desenvolvimento mobile e front-end.
Todo o código desenvolvido é convertido para a linguagem nativa do sistema operacional.
O mesmo código é utilizado para as plataformas iOS e Android.
Por ser multiplataforma e open source (disponível no GitHub), é possível desenvolver aplicações personalizadas para qualquer outro sistema operacional (Windows, macOS ou Linux).


Os componentes fundamentais do React Native

O React Native fornece vários componentes principais integrados prontos para uso. Mas não é preciso ficar limitado aos componentes e APIs básicos: há uma comunidade de desenvolvedores que disponibiliza milhares de bibliotecas para usos específicos.

A estrutura padrão do React Native possui os seguintes componentes fundamentais:

Visualizações
O componente mais fundamental para construir uma interface de usuário.
Texto
Um componente para exibir texto.
Imagem
Um componente para exibir imagens.
TextInput
Um componente para inserir texto no aplicativo por meio de um teclado.
ScrollView
Fornece um contêiner de rolagem que pode hospedar vários componentes e exibições.
Folha de estilo
Fornece uma camada de abstração semelhante às folhas de estilo CSS.

Apenas para dar uma ideia desta estrutura básica, o desenho do fluxo de componentes pode ser ilustrado assim:

Esquema da estrutura básica de componentes do React Native.
Esquema da estrutura básica de componentes do React Native.
(Fonte: Facebook Open Source | Meta Platforms, Inc.)

Por fim, veja esse exemplo de um projeto com o código em React Native para a criação de um app:


Principais vantagens em utilizar o React Native

  • Experiência do usuário fluida.
  • Carregamento mais rápido de apps.
  • Melhor integração entre funções dos dispositivos, como câmera, giroscópio, etc.
  • Redução de custos de produção, já que o código pode ser reaproveitado em até 100% entre as plataformas.
  • Diminui em até 50% a duração do projeto de desenvolvimento de aplicativos.
  • Facilita a criação de interfaces mais complexas e interativas: suas bibliotecas ajudam os desenvolvedores a economizar tempo, sem precisar construir tudo do zero.
  • Atualizações ou alterações são realizadas com a máxima eficiência, pois esse framework renderiza apenas os componentes modificados. Resultado: um sotftware com maior escalabilidade e mais autonomia nos microsserviços. (Adeus, recompilação!)
  • Compila e inicia rapidamente os aplicativos iOS/Android graças à sua estrutura baseada em componentes.

Qual é a pior desvantagem do React Native?

Imagine que você comprou uma Ferrari e, por algum motivo desconhecido, resolveu substituir o poderoso motor pelo de uma moto genérica qualquer. Você teria a aerodinâmica correta para correr a até 400 Km/h, mas o motor não vai além de 70 Km/h.

Isso pode ocorrer com os aplicativos em React Native. É um framework excelente para um aplicativo básico, mas se for necessário rodar ações mais complexas, o desempenho sofre muito devido ao uso excessivo de RAM por parte do JavaScriptCore.

Mas é possível corrigir isso com o mecanismo Hermes (JS), que oferece um desempenho muito melhor do que o JSC padrão. Há também a opção de turbinar o desempenho do React Native com o motor V8 do Chrome. Para os fins deste artigo básico, não vamos entrar em detalhes de como fazer a migração desses mecanismos.


React Native versus Node.JS (e outros concorrentes)

O React Native é simples, rápido e eficiente e é uma ótima escolha para os desenvolvedores que já têm experiência em JavaScript, pois não há necessidade de aprender Java específico para Android ou a Swift do iOS. 

É claro que o React Native possui concorrentes muito bons no mercado, como o Flutter e o Cordova, mas sua aceitação é gigantesca a cada ano que passa.

Por fim, há quem defenda o Node.JS como alternativa ao React Native. Isso não é correto, pois, embora ambas sejam baseadas em JavaScript, são duas tecnologias completamente diferentes: é como comparar uma maçã com um abacaxi, por exemplo. Não se pode dizer se a maçã é melhor ou pior, ou vice-versa. Basta escolher um deles, dependendo das necessidades do seu projeto ou propósito, ou combinar ambos. Mas aí já é outra história.

Se você quer saber mais sobre os componentes, APIs, arquitetura e outros detalhes sobre cada ambiente de desenvolvimento e como começar a desenvolver em React Native, visite o site oficial.


Conte com um parceiro expert em desenvolvimento de aplicativos com React Native

Sua empresa necessita construir um aplicativo? A UDS é considerada pela Clutch como uma das melhores desenvolvedoras de aplicativos na América Latina e ajuda a tornar a sua ideia de aplicativo uma realidade.

Leave A Reply